Postagens

Mostrando postagens de Março, 2012

Depoimento de Lilian Amaral sobre "Isso que Chamamos, Talvez por Engano, de Amor""

Ei Pessoal, Assisti hoje o trabalho de vocês e fiquei muito tocada com o que vivi. E ouvindo de vocês "escrevam!" atrevi-me a registrar o sentido que fez pra mim. Obrigada por reforçar o que alimento sobre o teatro como espaço de auto reflexão e conhecimento transformador. Um abraco!!! Então, pra mim foi isso... Ficamos chapados, mudos, somos parede – tensos, incomodados, mofados, acomodados – assistindo angustiados o fim do que ainda não terminou. Imóveis, somos espaço – cenário, nada podemos fazer além de estar ali. Por alguns momentos deixamos de existir ao mesmo tempo em que somos o ali, o aqui e agora. A divisao dos bens, dos maus – divide-se, se divide. O que é do outro em mim, o que é meu no outro. O que é nosso e deixará de existir , quando a gente já não for mais dois. A angustia do término, a densidade do espaço – tão comum, tão de cada um. A tensao dos atores que nos apaga. Em alguns momentos, olho pra meus companheiros “platéia-cenário”, estamos todo

Cia Drástica na mídia

Imagem
“Isso que chamamos, talvez por engano, de amor”, foi destaque hoje no caderno de cultura do Jornal Hoje em Dia e do O Tempo. A peça estará em cartaz até o dia 21 de março, na rua Maranhão, no bairro Santa Efigênia. A peça se passa dentro de um apartamento para um público de 10 pessoas por apresentação. As reservas de ingresso podem ser feitas pelo telefone (31) 9782-6276 / (31) 9411-4537 ou pelo email ciadrastica@gmail.com.

Últimas reservas para "Isso é o que chamamos, talvez por engano, de amor"

Imagem
A Cia Drástica informa que só restam ingressos para as apresentações dos dias 20 e 21 de março. O companhia volta com “Isso que chamamos, talvez por engano, de amor”, de 06 a 21 de março (sendo que de 06 a 16, de terça a sexta às 20h; e de 19 a 21, de segunda a quarta às 20h), na rua Maranhão, no bairro Santa Efigênia. A peça se passa dentro de um apartamento. As reservas podem ser feitas pelo telefone (31) 9782-6276 / (31) 9411-4537 ou pelo email ciadrastica@gmail.com. INGRESSOS A R$20,00 – inteira; R$10,00 meia

“Isso que chamamos, talvez por engano, de amor” homenageia Caio Fernando Abreu

Imagem
“Isso que chamamos, talvez por engano, de amor” é mais um resultado alcançado na trajetória da Cia Drástica e mais uma ação do projeto da companhia em comemoração de seus 15 anos de atividades e em homenagem a Caio Fernando Abreu, falecido há 15 anos. A Cia. Drástica de Artes Cênicas foi criada por ex-alunos do Teatro Universitário da UFMG e mantêm-se presente na cena mineira desde 1995. Através de seus espetáculos e das oficinas de formação teatral, alcançou reconhecimento do público e da crítica. Desde sua criação, seu principal objetivo tem sido o comprometimento com a arte e suas funções, como a reflexão provocada pelos temas de seus espetáculos que despertam questões ao dialogar com o homem contemporâneo, levando-o a repensar seu lugar no mundo.  Com seus espetáculos e suas oficinas de formação teatral a Cia já se apresentou em várias cidades de Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo, além de ter apresentado “Verde Natal” em diversas cidades de Portugal no ano 2000. Durante sua